Carne vermelha pode aumentar risco de diabetes tipo 2: mitos e verdades

Muitos alimentos são taxados, popularmente, como inimigos ou aliados da nossa saúde. Em relação ao diabetes, então, a lista do “pode e não pode” é gigantesca. Muitas dessas afirmações são controversas, como o consumo de carne vermelha. Afinal, para prevenir ou mesmo controlar a diabetes, o paciente deve cortar esse alimento da dieta? Saiba se a Carne vermelha pode aumentar risco de diabetes tipo 2: mitos e verdades.

Carne vermelha pode aumentar risco de diabetes tipo 2: mitos e verdades (Foto: Divulgação)
Carne vermelha pode aumentar risco de diabetes tipo 2: mitos e verdades (Foto: Divulgação)

Carne vermelha pode aumentar risco de diabetes tipo 2: mitos e verdades

Carne vermelha pode aumentar risco de diabetes tipo 2: mitos e verdades sobre o assunto, confira mais informações. As causas da diabetes é uma combinação de fatores genéticos com fatores externos, que são hábitos adotados pelo indivíduo, como alimentação desregrada e sedentarismo. Entre esses aspectos ambientais, o consumo de carne vermelha tem sido alvo de estudos e associado ao desenvolvimento da doença.

Consuma carne vermelha sempre (Foto: Divulgação)
Consuma carne vermelha sempre (Foto: Divulgação)

Estudo que avalia o risco da carne vermelha

Um estudo realizado pela Universidade de Harvard relaciona o consumo de carne vermelha processada com o risco de diabetes tipo 2. Os pesquisadores não souberam apontar o motivo exato, mas uma possível explicação é a grande quantidade de ferro presente na carne vermelha, que causa danos às células pancreáticas responsáveis pela produção de insulina. As conclusões da pesquisa foram as seguintes:

– Cada porção de carne processada (como salsicha, salame e bacon) representou um aumento de 51% no risco de desenvolver o diabetes
– A porção de carne vermelha, como hambúrguer, bife de porco ou cordeiro, foi associada a um aumento de 19% no risco da doença
– Substituir uma porção de carnes vermelhas ou processadas por opções saudáveis, como nozes, cereais integrais e com baixo teor de gordura, foi responsável por uma redução de 16% a 35% no risco

Aposte no consumo de carne vermelha (Foto: Divulgação)
Aposte no consumo de carne vermelha (Foto: Divulgação)

Ponderações ao resultado do estudo

Logo surgiram várias críticas a esses estudo apontando algumas considerações:

– os grãos integrais, apontados como melhor substitutos da carne vermelha, tem maior índice glicêmico;

– é preciso diferenciar a carne processada à carne vermelha. A carne criada à pasto não te conservantes como os embutidos têm – a exemplo da salsicha e salame – e possuem maior valor nutricional;

– outros estudos já apontam que o consumo de carne vermelha de gado criado em pasto é benéfico e ajuda na prevenção do diabetes e de doenças cardiovasculares;

– como pessoas obesas costumam comer grandes quantidades de vários alimentos, inclusive a carne vermelha, pode-se associar de forma equivocada o consumo desse alimento com doenças cardiovasculares e diabetes. Quando, na verdade, é a própria obesidade um fator de risco;

– fala-se muito que a carne vermelha possui gordura saturada, mas nem toda gordura saturada é igual. A gordura saturada boa (da carne de gado criado no pasto) melhora a sensibilidade à insulina. Já a gordura saturada produzida pelo homem (gordura hidrogenada que gera gordura trans) altera a sensibilidade à insulina, o que pode causar aumento da glicemia.

– a carne vermelha de gado criado à pasto ajuda a corrigir o desequilíbrio de ácidos graxos essenciais, como ômega 3 e ômega 6. Existe uma tendência de muito ômega 6 e pouco ômega 3 no nosso organismo. Pesquisas apontam que esse desequilíbrio pode piorar a sensibilidade à insulina.

Coma carne vermelha com ponderação (Foto: Divulgação)
Coma carne vermelha com ponderação (Foto: Divulgação)

Coma com moderação

É preciso destacar que o principal inimigo da nossa saúde é o excesso. Tudo em exagero pode ser prejudicial e desencadear problemas, como o diabetes. Portanto, não adianta tomar uma atitude extremista e abolir o consumo de carne vermelha – até porque ela possui propriedades importantes para o nosso organismo. O ideal é consumir de forma moderada para manter o equilíbrio da dieta. Para isso, é fundamental a orientação de um nutricionista.

 

/* */