Como ajudar um diabético: dicas, como lidar

Apesar de ser uma doença crônica e sem cura, a diabetes é perfeitamente controlável e, assim, é possível garantir qualidade de vida para o paciente. O segredo é aderir a hábitos saudáveis e seguir as recomendações médicas à risca. Isso pode ser um desafio para muitos, mas são essas mudanças que evitam complicações futuras e permitem conviver tranquilamente com a doença. Veja Como ajudar um diabético: dicas, como lidar.

Como ajudar um diabético: dicas, como lidar (Foto: Divulgação)
Como ajudar um diabético: dicas, como lidar (Foto: Divulgação)

Como ajudar um diabético: dicas, como lidar

Para conviver bem com a diabetes, é preciso que o paciente mude o estilo de vida, abandonando velhos hábitos e aderindo a uma alimentação equilibrada, à prática regular de atividades físicas, além de seguir rigorosamente o tratamento médico.

Quando fora de controle, a diabetes pode gerar consequências mais graves, como problemas na visão, falência renal e doenças cardiovasculares. Portanto, o ideal é seguir algumas dicas e aprender a conviver bem com a condição. Confira algumas mudanças que ajudam o diabético a lidar com a doença.

Lidar com um diabético nem sempre é fácil (Foto: Divulgação)
Lidar com um diabético nem sempre é fácil (Foto: Divulgação)

Estimule a prática de atividades físicas

Atividades físicas: abandonar a vida sedentária é uma das principais recomendações para o diabético. Realizar atividades físicas com regularidade é fundamental para o tratamento da doença, pois controla os níveis de açúcar e evita o ganho de peso. O ideal é praticar exercícios físicos de três a cinco vezes na semana, sempre sob orientação de profissional para evitar excessos, evitando os limites e as peculiaridades de cada paciente.

Ajude diabético com uma palavra de apoio que seja  e comendo de modo saudável juntamente com ele (Foto: Divulgação)
Ajude diabético com uma palavra de apoio que seja e comendo de modo saudável juntamente com ele (Foto: Divulgação)

Alimentação correta é essencial

Alimentação: evitar o consumo de açúcares simples (presentes em doces e carboidratos simples, como pães e massas), pois esses componentes são absorvidos muito rápido pelo organismo, levando à picos de glicemia. É recomendável, quando ingerir esse tipo de alimento, beber bastante água para ajudar a remover o excesso de glicose através da urina. Dê preferência a carboidratos complexos, como nozes, grãos integrais e castanhas), pois eles são absorvidos de forma mais lenta.

Estresse: diabéticos têm mais chances de desenvolver ansiedade e depressão. Quando o paciente apresenta esses problemas, tende a se descuidar com o controle dos níveis de açúcar, o que aumenta o risco de complicações.

Lembre o diabético que el tem que controlar os níveis da doença (Foto: Divulgação)
Lembre o diabético que el tem que controlar os níveis da doença (Foto: Divulgação)

Lembre-se que o diabético muitas vezes precisa da insulina

Aplicação de insulina: caso o tratamento exija a aplicação de insulina, hoje, já existem canetas apropriadas que causam menos desconforto que as injeções tradicionais, pois as agulhas são menores e o material mais flexível.

Elimine bebida de álcool da sua casa se o diabético gostar muito de beber (Foto: Divulgação)
Elimine bebida de álcool da sua casa se o diabético gostar muito de beber (Foto: Divulgação)

Bebidas alcoólicas deve estar fora do cardápio

Bebidas alcoólicas: evite bebidas alcoólicas e quando for consumi-las deve ser de forma moderada e nunca de estômago vazio, pois o consumo isolado pode causar crise de hipoglicemia. Além disso, é importante dar preferência a bebidas destiladas – sempre com moderação – pois não são feitas à base de carboidratos, como a cerveja, e têm baixo índice glicêmico.

 

/* */