Diabulimia: saiba exatamente o que é

Uma das necessidades humanas mais básicas e essenciais é a alimentação. Quanto mais equilibrada e variada ela, for, melhor é para o corpo e para a mente. Pessoas que são portadoras de algum tipo de doença crônica, como o diabetes, por exemplo, precisa ter um cuidado redobrado com isso. Mas há um distúrbio alimentar que vem causando problemas enormes entre os diabéticos, que é a diabulimia.

Diabulimia

Se um distúrbio alimentar já causa transtornos e impactos negativos gigantescos em quem é plenamente saudável, imagine então em alguém com diabetes, onde o cuidado com a alimentação de um modo geral e com o corpo é mais delicado e toda diferença pode ser literalmente fatal.

Mas você sabe o que é diabulimia? Já ouviu falar desse distúrbio? Desconfia que alguém que você conhece possa estar sofrendo desse mal? Acredita que possa estar sendo acometido com esse distúrbio? Então leia esse artigo até o final, pois explicaremos em detalhes sobre o que esse problema se trata.

O que é diabulimia?

A diabulimia é um termos bastante recente, cunhado principalmente pela mídia. Cabe ressaltar aqui que ele não se trata de nenhum termo ou diagnóstico oficial ou reconhecido pela comunidade médica de forma geral. Por conta disso, muitas vezes quem sofre desse mal acaba recebendo um diagnóstico impreciso ou sequer diagnóstico algum.

O termo diabulimia é uma espécie de junção da palavra diabetes com a palavra bulimia. Ela é uma condição médica na qual uma determinada pessoa, alguém diabético do tipo 1, se recusa a tomar a quantidade certa de insulina ou mesmo corta por completo a injeção de insulina no corpo. Elas ignoram, de forma deliberada, a necessidade e a prescrição das doses de insulina. Tudo isso com um único objetivo: emagrecer.

diabulimia balança

A ideia por trás da lógica desse distúrbio se dá por conta do seguinte mecanismo: como se sabe, uma pessoa diabética não tem produção ou ao menos não tem a produção suficiente de insulina. A insulina é o hormônio do corpo humano responsável pelo transporte da glicose para as células. Na ausência de insulina, a glicose será expelida pelo corpo ao urinar, com algum frequência. O resultado disso, a pessoa perde o peso em grande velocidade.

Esse distúrbio alimentar é capaz de afetar qualquer indivíduo que possua diabetes do tipo 1. No entanto, algumas pesquisas apontam que diabéticos portadores do tipo 2 possuem uma propensão muito maior em desenvolver algum tipo de transtorno alimentar, incluindo-se aí a diabulimia.

Quais são os sintomas da diabulimia?

Enumeramos abaixo os principais sintomas da diabulimia:

  • Índices elevados de hemoglobina glicada (A1C);
  • Problemas de aceitação corporal ou até mesmo distorção da imagem;
  • Níveis de glicose absurdamente altos;
  • Depressão;
  • Oscilações de humor;
  • Fadiga;
  • Infecções constantes (por fungos, na bexiga, entre diversas outras);
  • Reduzidos níveis de potássio;
  • Baixos índices de sódio;
  • Aumento do apetite;
  • Perda de peso muito veloz, ainda que a pessoa se alimente regularmente ou coma em grande quantidade;
  • Diminuição da concentração;
  • Baixa motivação.

Quais são as consequências da diabulimia?

A existência de um diagnóstico de diabulimia requer cuidados o quanto antes. Ela pode ter impactos incrivelmente negativos e consequências terríveis para a saúde da pessoa. A longo prazo, a diabulimia pode ocasionar falhas nos rins, problemas nos olhos, sistema nervoso e sistema circulatório.

Se não for tratada corretamente, pode acabar levando o paciente a desenvolver um quadro de cetoacidose diabética. Posteriormente, os órgãos vão falhando até levar a pessoa a óbito.

Cuidado da diabulimia

Se você acha que pode estar sofrendo de diabulimia, procure um médico o quanto antes. Quanto mais cedo der início ao tratamento, menos riscos você corre. Nenhum padrão limitado e irreal de beleza vale você arriscar a sua saúde.

/* */