Qual o melhor adoçante para pessoas com diabetes?

Para quem é diagnosticado com diabetes, uma das primeiras medidas a se tomar é uma reeducação alimentar que garanta uma dieta saudável e adequada para a nova condição. Evitar o máximo de açúcar possível, tanto para controlar o peso como os níveis de glicose no sangue, é elemento central e um dos grandes aliados para isso é o adoçante. É importante, porém, conhecer os tipos e saber escolher. Qual o melhor adoçante para pessoas com diabetes?

Qual o melhor adoçante para pessoas com diabetes? (Foto: Divulgação)
Qual o melhor adoçante para pessoas com diabetes? (Foto: Divulgação)

Qual o melhor adoçante para pessoas com diabetes?

Os adoçantes são podem ser utilizados como grandes aliados no tratamento do diabetes. Eles são produzidos a partir de edulcorantes, substâncias naturais ou artificiais que são responsáveis pelo sabor adocicado de matérias-primas, como derivados da cana, produtos sintéticos e aminoácidos.

Existem vários tipos de adoçantes disponíveis no mercado e o paciente diabético pode ficar na dúvida sobre qual o melhor produto para a sua dieta. É importante conhecer os tipos de adoçante, quais os mais indicados para diabéticos e, mais ainda, conversar com um profissional de nutrição, pois ele é quem pode receitar a melhor opção para cada caso.

Especialistas apontam que os adoçantes ideais para diabéticos possuem base de ciclamato, aspartame, sucralose, sacarina, acessulfame-k e esteviosídeo. Porém, o ideal mesmo é usar produtos deste tipo somente quando necessário e ainda com moderação.

Veja mais sobre: Como diminuir o açúcar no sangue

Experimento o adoçante recomendado pelo seu médico (Foto: Divulgação)
Experimento o adoçante recomendado pelo seu médico (Foto: Divulgação)

Há produtos que possuem açúcar misturado ao adoçante, por isso é fundamental também saber ler os rótulos para escolher o produto de acordo com suas necessidades. Pessoas hipertensas, por exemplo, devem evitar adoçantes com sacarina ou ciclamato, pois são produtos que possuem níveis elevados de sódio.Abaixo, listamos alguns tipos de adoçantes, naturais e artificiais, e explicamos a diferença entre eles. Isso pode ajudar escolher o melhor adoçante para pessoas com diabetes.

Adoçante em gotas pode ser a sua solução (Foto: Divulgação)
Adoçante em gotas pode ser a sua solução (Foto: Divulgação)

Adoçantes naturais

  1. Frutose: é extraído de frutas e do mel, é mais doce que o açúcar e é altamente calórico. Não é indicado para pacientes com diabetes porque eleva os níveis de açúcar no sangue e ainda pode refletir em aumento de peso.
  2. Esteviosídeo: é extraído da stevia rebaudiana, uma planta nativa da América do Sul, não afeta a glicemia e não possui calorias.
  3. Sorbitol: extraído de algas marinhas e de algumas frutas, como ameixa e maçã, ele é bastante utilizado na produção de biscoitos e chicletes. Possui valor calórico e não é indicado para diabéticos.

Confira mais informações sobre: 3 modelos de testes para diabetes

Adoçante pode ser a única opção (Foto: Divulgação)
Adoçante pode ser a única opção (Foto: Divulgação)

Adoçantes artificiais

Aspartame: seu poder adoçante é 200 vezes maior que do açúcar, não possui calorias, sendo permitido para diabéticos.

Sacarina: é produzida a partir do ácido toluenossulfônico, que é derivado do petróleo. Apesar de deixar um sabor amargo e metálico, ela não possui calorias e pode ser usada por diabéticos. É contraindicada para pacientes hipertensos por conta do sódio na composição.

Ciclamato de sódio: é sintetizada a partir de outro derivado do petróleo, o hexano sulfâmico, não possui calorias e é indicado para diabéticos. Também por conta do sódio, como a sacarina, é contraindicado para hipertensos. É usado ainda na produção de refrigerantes zero, além de adoçantes. Estudos apontam que essa substância pode causar câncer e tumores. Por conta disso, seu consumo é proibido em alguns países, como Japão, França e EUA.

Sucralose: é extraído da cana de açúcar e modificado para não ser absorvido pelo nosso organismo. O seu sabor é bem parecido com o do açúcar, não contém calorias, não altera a glicemia e, portanto, seu uso é indicado para diabéticos.

 

/* */