Riscos de fraturas com o diabetes: como se cuidar

Quando uma pessoa sofre de diabetes, isso causa impactos negativos em uma série de aspectos do corpo do sujeito. Em outras palavras, o diabético pode, por conta da doença, acabar sofrendo de outros males para a saúde. A diabetes pode, por exemplo, prejudicar o sistema cardiovascular da pessoa, favorecendo o surgimento de doenças do coração. O que talvez nem todos saibam é que há consideráveis riscos de fraturas com o diabetes.

Esse é um problema normalmente associado ao diabetes do tipo 1. No entanto, alguns pesquisadores apontam que estão aumentando as evidências de riscos de fraturas com o diabetes tipo 2. Diante dessa realidade, um diabético precisa efetuar um tratamento que leve em consideração não apenas o diabetes em si, mas também as outras doenças que podem aparecer por conta dele.

Iremos abordar nesse artigo o por quê uma pessoa com diabetes pode acabar desenvolvendo essa modalidade de problema. Falaremos também a respeito sobre modos de como se cuidar dos riscos de fraturas com o diabetes.

Por que podem haver riscos de fraturas com o diabetes?

Os riscos de fraturas com o diabetes são considerados uma comorbidade. Dito de outra forma, eles são uma complicação associada à essa doença. É relativamente considerável a quantidade de pessoas diabéticas que sofrem com fraturas e osteoporose, por exemplo.

Para as pessoas portadoras de diabetes do tipo 1, há uma carência total de insulina. A insulina não é útil apenas por conta do transporte de glicose para as células. Ela é igualmente importante por causa do seu efeito anabólico. Isso quer dizer que ela incentiva o crescimento de tecidos diversos no nosso corpo. Nisso está incluso, obviamente, o tecido ósseo.

riscos de fraturas com o diabetes tornozelo

O diabético acaba então produzindo menos células ósseas. Sua massa óssea acaba sendo bem menor em comparação com as pessoas que não sofrem desse male, o que acaba favorecendo o enfraquecimento dos ossos e riscos de fraturas com o diabetes.

No diabetes tipo 2, no começo da doença, devido aos picos de insulina, a massa óssea parece ser maior, mas isso é um equívoco. Tanto no diabetes tipo 2 quanto no tipo 1, os mecanismos responsáveis pelo remodelamento ósseo e também pela produção de colágeno são afetados.

Por conta disso, a estrutura óssea acaba ficando comprometida e por isso os riscos de fraturas com o diabetes aumentam.

Como se cuidar e se prevenir contra os riscos de fraturas com o diabetes

Vamos listar abaixo algumas maneiras para ajudar você diabético a se cuidar e reduzir ao máximo o risco de fraturas com o diabetes.

  • Realização de exames específicos

O primeiríssimo passo é a realização de exames específicos para a verificação da densidade óssea, além também de uma avaliação metabólica e clínica completa. A densitometria óssea é um exame que vai fornecer dados importantes para um diagnóstico mais preciso e um tratamento mais eficaz.

  • Suplementação de vitamina D e cálcio

Uma forma crucial de lidar com esse problema é através da suplementação de cálcio e de vitamina D. Ambos esses elementos são essenciais para a formação do tecido ósseo e o fortalecimento do mesmo.

  • Medicamentos anabólicos e antireabsortivos

Os medicamentos anabólicos ajudarão o corpo a formar uma quantidade mais consistente e qualitativa da massa óssea. Os antireabsortivos, por sua vez, auxiliam o corpo a não reabsorver a massa óssea e assim impedem que ela diminua.

  • Exercícios físicos

A prática diária de exercícios físicos ajuda no fortalecimento dos ossos e no controle da diabetes.

Prevenindo-se contra os riscos de fraturas com o diabetes

Prevenir-se contra os riscos de fraturas com o diabetes é essencial para que o portador da doença sofra com dores, limitações de movimentos e outros problemas relacionados às fraturas.

 

/* */