Veja porque diabetes aparece mais em mulheres do que em homens

O desenvolvimento do diabetes está relacionado à questões genéticas e também a uma série de fatores ambientais. Suas causas exatas ainda são objeto de estudo, mas sabe-se que o sedentarismo e a obesidade estão entre os principais fatores de risco para a doença. Alguns dados têm apontado outra informação que serve de alerta: a população feminina é mais propensas ao problema. Veja porque diabetes aparece mais em mulheres do que em homens.

Veja porque diabetes aparece mais em mulheres do que em homens (Foto: Divulgação)
Veja porque diabetes aparece mais em mulheres do que em homens (Foto: Divulgação)

Veja porque diabetes aparece mais em mulheres do que em homens

Uma pesquisa realizada pelo Mistério da Saúde aponta que, no Brasil, o diabetes é mais frequente nas mulheres. Os números são claros: enquanto nos homens a incidência aumentou de 4,4% para 5,2% em cinco anos, a doença atinge 6% do público feminino. Uma pesquisa realizada por um grupo de professores da Oregon State University e da Bellarmine University, dos Estados Unidos, pode ajudar a explicar esses dados.

O excesso de gordura localizada pode prejudicar quem tem diabetes (Foto: Divulgação)
O excesso de gordura localizada pode prejudicar quem tem diabetes (Foto: Divulgação)

Mulheres podem ser mais vulneráveis

Para o estudo norte-americano, foram analisados mais de mil homens e mulheres. Além de confirmar a relação entre a prática regular de exercícios físicos e um menor risco de desenvolver síndromes metabólicas, a pesquisa descobriu que as mulheres são mais propensas a desenvolver esse tipo de problema do que os homens.

Acontece que síndrome metabólica é um grupo de fatores de risco, como hipertensão, colesterol alto e acúmulo de gordura abdominal, que atuam em conjunto e aumentam o risco de várias doenças, como o diabetes tipo 2.

Cuide melhor do seu coração (Foto: Divulgação)
Cuide melhor do seu coração (Foto: Divulgação)

Mulheres geralmente são mais sedentárias

O estudo mostra ainda que o sedentarismo é mais comum entre o sexo feminino. Em média, as mulheres do estudo faziam 18 minutos de exercícios por dia, contra 30 minutos dos homens. Por isso a importância de manter uma vida ativa, com a prática regular de exercícios físicos, para evitar esse fatores de risco.

Além de estarem mais atentas à prevenção do diabetes, as mulheres precisam redobrar os cuidados quando já têm o diagnóstico, pois outra pesquisa, conduzida por europeus e australianos, aponta que a doença pode impactar de forma mais negativa a saúde das mulheres do que a dos homens.

Cuidado com o excesso de gordura

De acordo com o estudo, o risco de um paciente diabético desenvolver uma doença coronária, por exemplo, é de 44% maior se ele for do sexo feminino. A doença coronária se caracteriza quando o transporte do sangue ao músculo cardíaco é bloqueado parcial ou completamente devido ao acúmulo de gordura nas paredes das artérias.

 

/* */